Clique e altere o fundo do site.
  • Mude o fundo do site! Foto 01
  • Mude o fundo do site! Foto 02
  • Mude o fundo do site! Foto 03
  • Mude o fundo do site! Foto 04
  • Mude o fundo do site! Foto 05
  • Mude o fundo do site! Foto 06
Roberta Espinosa

Carioca, cantora e compositora Roberta Espinosa começou a cantar em peças musicais aos 16 anos.

read the biography in english » Biografia

Com temporadas de sucesso em consagradas casas de espetáculos na Lapa (RJ), Roberta Espinosa lança álbum com canções autorais em 2015.

Você junta jazz, ciranda, funk e ijexá, e coloca no mesmo samba. Esse é o som de Roberta Espinosa. Na infância - a carioca nascida em 86 - ouviu Tim Maia e Paulinho da Viola, influenciada pelo pai; pelos agudos afinados da mãe, os sambas gravados por Elis Regina. Cantora, compositora e atriz, Roberta Espinosa cursou o Teatro Tablado durante quatro anos. Começou a cantar em peças musicais aos 16 anos. Estrelou "Raul: Metamorfose Ambulante", no Teatro Ipanema, em 2003.

Dos palcos para as rodas de samba! Fez participação especial em rodas como O Samba do Trabalhador, com Moacyr Luz, GaloCantô, Casuarina, entre outras. Ainda fez participações em shows dos grupos , Trilogia Carioca e das cantoras Ana Costa e Elisa Addor. Dos cantores Moyseis Marques, Rodrigo Lampreia... Apresentou-se no Softel e Othon Palace, também no Rio, ao lado do compositor Otávio Santos (piano).

Ela é samba

Em 2007, montou seu primeiro show: voz, violão de 7 cordas, cavaquinho, flauta e percussões. No repertório, relíquias de outros carnavais: "Devagar com a Louça" (Haroldo Barbosa/Luiz Reis), "Barracão de Zinco" (Luiz Antônio e Oldemar Magalhães), "Samba da Minha Terra" (Dorival Caymmi), "Opinião" e Eu Sou o Samba" (ambos de Zé Kéti), entre outros.

Mas no palco de Roberta Espinosa também cabem releituras de "Olhos Coloridos" (Macau), "Feira de Mangaio" (Sivuca) e "Gostava Tanto de você" (Tim Maia). No ano seguinte, Roberta Espinosa abriu shows de Edu Kriguer, Garrafieira, Moinho da Bahia, Gafieira Carioca e Empolga às 9.

Em 2008, abriu show para a Orquestra Republicana no Circo Voador, dividiu o palco com a baiana Emanuelle Araújo e com o Arlequins do Rio – banda fundada por Roberta. No mesmo ano, o grupo ganhou um concurso de bandas carnavalescas promovido pela Riotur. Com seu grupo se apresentou no Cinemathèque Jam Club em Botafogo, Zona Sul do Rio. Participou ainda do projeto "Quem faz samba” no Centro Cultural da Justiça Federal e "Cultura na Praça", promovido pela Secretaria de Cultura de Niterói.

No Teatro Odisséia, na Lapa, estrelou o projeto "Vozes da Lapa" e no Hard Rock Café (RJ), se apresentou durante o “Quintarte”. Roberta fez temporadas com lotação esgotada no Sacrilégio, Bar da Ladeira e Rio Scenarium. No último, foram quatro temporadas com o show "Em Estado de Samba".

Ela é Bossa Nova

Com o show "Canta na Bossa que ela é Nossa" interpreta clássicos do gênero como "Influência do Jazz" (Carlos Lyra) e "Este Teu Olhar" (Tom Jobim). Com o repertório bossa-novista já se apresentou no Rio Scenarium e no Shopping Leblon durante evento promovido pelo canal GNT (Globosat) com os músicos Rodrigo de Marsillac (teclados), Miguel Couto (bateria) e Sergio Castanheira (baixo e arranjos).

Ela Bota o Bloco na Rua

Em 2009 uniu a sua Roda de Samba e o seu trio de Bossa Nova e lançou o Novo Show. Roberta Espinosa e sua Banda Bloco na Rua estreiaram com temporadas lotadas no Teatro Odisséia em 2009 e 2010 .

Com Elza Soares

Em Novembro de 2011, Roberta Espinosa teve a honra de estar ao lado da Diva Elza Soares no palco do Rival, na temporada intitulada Tulipa Negra. Com ela fez um dueto na música Fadas, composição de Luis Melodia e arranjo de João de Aquino.

Com o Sambailaço

Querendo ampliar o horizonte do Samba, Roberta mergulhou num estudo sobre o Samba-Rock e montou sua nova Banda, Sambailaço cujos arranjos de sopro do show são de Rodrigo Revelles.

Sonoridades múltiplas no álbum de estréia em 2015

Apontada como um dos talentos da nova geração da MPB, Roberta se concentra na produção do seu primeiro disco independente, com previsão de lançamento para 2010. Ela assina seis composições: a saborosa "Descaminhos", a swingada "Aonde está meu Rio" - em parceria com a irmã Luisa Espinosa, de dez anos - a ciranda contemporânea "Promessas" e a hipnótica "Samba que Samba". Com o cantor e compositor Marcio Local compôs a música “Fala” e com o músico Dom Oliveira compôs a parceria Melhor que ninguém e Deixa chegar. A última também assinada por Thais Alves. Ela já apresentou duas canções inéditas no programa Happy Hour do GNT, NO Estudio I- Globo News e Alternativa Saúde, GNT.

Ampliando o horizonte da nova e moderna MPB, Roberta traz para o palco releituras de samba consagrados com pitadas de soul. O improviso fica pro conta da cadência do partido alto, o repente do sambista. Seu repertório é democrático. Vai da bossa-nova ao samba-funk passando por músicas regionais numa bem sucedida fusão de sonoridades múltiplas.

Compasso binário e ritmo sincopado. A dobradinha não basta para se fazer um bom samba. É preciso manemolência, carisma e um timbre sedutor. No palco, ela mostra porque é merecedora dos elogios que vem recebendo. Quem não gosta do samba de Roberta Espinosa bom sujeito não é. Ou é ruim da cabeça ou doente do pé.